Investimentos no capital natural na China

A China investe em serviços ecossistémicos de uma forma assinalável em termos de dimensão, duração e inovação.

GEF/Flickr

GEF/Flickr

A China investe em serviços ecossistémicos de uma forma assinalável em termos de dimensão, duração e inovação. Na sequência da grave seca em 1997 e das imensas inundações um ano mais tarde, o país implementou uma série de projetos de silvicultura e de conservação que já excederam 100 mil milhões de dólares na presente década. Esses investimentos destinam-se a conservar o capital natural e a reduzir a pobreza mediante a transferência de recursos das províncias costeiras para as regiões do interior, onde muitos serviços ecossistémicos têm a sua origem. Mais de 120 milhões de agricultores participam diretamente em programas que visam minimizar a erosão das terras, reduzir a desertificação e proteger a biodiversidade, com vista, nomeadamente, a reduzir o risco de inundações, promover o ecoturismo e aumentar a produtividade da agricultura.